terça-feira, 21 de abril de 2009

Ainda sobre o novo "Colégio Mateus d'Aranda"

Não estava à espera que o meu post anterior sobre o nome dado ao departamento se convertesse em rastilho. Não era de todo essa a intenção. Na altura em que o escrevi não tinha a certeza (que mais tarde se veio a confirmar) de que era mesmo esse nome que se iria adoptar. Escrevo este post como a minha última palavra sobre o assunto.

Segundo me foi dito, a decisão final quanto ao nome veio da Reitoria. Como tal há que acatá-la enquanto decisão do órgão máximo da Universidade. Contudo o aceitar não significa necessariamente consentir e nisso sou o primeiro a manifestar-me (como o fiz). É necessário também respeitar decisões que não estão totalmente nas mãos dos alunos. Não creio que a escola seja propriamente uma democracia. Tendo por base estes parágrafos, tenho que referir dois pontos que acho importantes (exclusivamente a título pessoal):

Primeiro: Não estava à espera de despoletar as reações que se vieram a verificar. Não gosto de "políticas". Nunca gostei e, provavelmente, nunca irei gostar. Daí que, o que inicialmente se transformou na ideia de comunicar à hierarquia mais alta do Departamento o meu desagrado pelo nome adoptado, se desvaneceu imediatamente.
Segundo: Estamos a esquecernos de um pormenor que considero essencial. Não creio ser primordial o nome que tem o colégio. Toda esta energia deveria, em meu ver, ser canalizada para transformar o Departamento de Música da Universidade de Évora cada vez "mais" melhor. Deveria pois o Departamento ser o estandarte de toda uma tradição musical que esta cidade tem.

Acima de tudo, não é por o edifício ostentar o nome de um compositor/teórico espanhol que o Departamento irá ser "menos" do que é. Sei que me estou a contradizer, mas o que quero frisar é um ponto crucial em toda esta polémica: só nós (alunos do departamento de música) é que estamos ao corrente desta situação, quando na verdade deveria ser precisamente ao contrário. E fico-me por aqui quanto a este assunto.

L.H.

1 comentário:

  1. É bem triste caro Luís. mas é a escola que administração que temos, com o alto patrocínio de alguns alunos e tudo.
    Enfim...

    ResponderEliminar